31 de mar de 2012

Hora do planeta: mais uma balela!


Neste exato momento, se é que o Blogger realmente publica o artigo na hora programada, um monte de gente deve estar apagando as luzes de suas casas, ficando no escuro, enquanto tomam um banho bem quente, navegam na internet ou assistem ao Jornal Nacional ou coisa pior. Nada contra essas atividades todas, mas porque estão mesmo apagando as luzes? Ah! Porque uma ONG internacional chamada WWF inventou uma forma de mobilização, que começou lá na Austrália em 2007 e rapidamente se tornou moda mundial, para conscientizar as pessoas sobre o tão famigerado aquecimento global.

Bom, eu particularmente irei continuar com todas as lâmpadas que eu julgar necessárias acesas em minha casa. Até mesmo porque eu não acredito mesmo nesse negócio de aquecimento global. Ou acredito? Ainda não me decidi. Enfim... Li que no ano passado 1 bilhão de pessoas em todo o mundo apagaram as luzes de suas casas. UM BILHÃO!!! É gente pra porra! Mas engraçado é pensar que para apagar as luzes as pessoas precisam ter luz para apagar e vejam só a ironia, mais de 1,3 bilhão de pessoas no mundo sequer tem acesso a energia elétrica, de acordo com um estudo da IEA (Agencia Internacional de Energia – sigla em inglês). Deveriam então computar essas pessoas e teríamos que mais de 2 bilhões de pessoas ficaram com as luzes apagadas – um terço da população mundial. Isso sim que é uma campanha de sucesso.

Não quero aqui desqualificar a campanha como agente mobilizador, mas fico pensando na eficácia desse tipo de ação. Dessas galera toda que adere a campanha, quantas realmente se propõem a pensar as causas da degradação do planeta, com ou sem aquecimento global. Será que se a campanha se chamasse o Ano do Planeta teríamos essa adesão toda? Ou só daqueles 1,3 bilhão que não tem escolha mesmo? E o papinho do cada pessoa tem o poder de mudar o mundo em que vive? Quem eu? Sozinho? Porra! Não sabia que era tão poderoso assim. Essas campanhas de cunho ideológico só servem para nos iludir, tirar o foco da fonte dos problemas reais que enfrentamos. Querem que acreditemos que a culpa pelos problemas ambientais e sociais do planeta são somente nossas e portanto, a solução deve partir de nós também.

Em campanhas como esta não há sinergia. A soma das partes (dos esforços individuais) não é maior que o todo. Soa-me como pura hipocrisia. Não vi em nenhum lugar a WWF incentivando a reflexão sobre os  problemas sociais e ambientais que nos afligem. Somente a perpetuação do mote – apague as luzes de sua casa contra o aquecimento global. E todo mundo vai na onda. O aquecimento global é só a causa do momento, assim como já foi, há um tempo atrás, o buraco da camada de ozônio. E muitos outros que estão por ai. Mas o buraco é mais embaixo e a causa mais radical, como já disse por aqui em um post anterior.

Para a meia dúzia que por ventura leiam esse artigo, deixo uma dica para a reflexão – que pode ser deixada para depois do Big Brother – que tal dividirmos a parcela das soluções de nossos problemas de forma proporcional à participação na sua geração. Por exemplo: ao invés de você ficar reduzindo o seu banho para 3 minutos, reaproveitar toda a água da chuva, fazer xixi no ralo na hora do banho e economizar 70% do seu consumo de água, que tal o setor agrícola arcar com essa redução, já que este representa 70% do consumo de água do planeta? Como forçá-los a isso? Como não utilizarmos mais combustíveis fósseis? Dia sem carro. Como reduzir o desmatamento na Amazônia? Usar papel reciclado. Como reduzir a demanda por energia elétrica. Hora do planeta.

Afinal, apagar as luzes por uma hora é fácil. Não precisa nem sair de casa e de quebra estou fazendo a minha parte. Difícil é sair de sua zona de conforto e enfrentar as ruas, como os Occupiers, os Indignados ou a Primavera Árabe.

Nenhum comentário: