6 de mar de 2012

Dia da mulher

Dia 8 de março é comemorado o dia da mulher, como todos já sabem...é a data intermediária entre o natal e o dia das mães em que a mídia divulga como um momento de dar presentes, mais especificamente eletrodomésticos, flores e doces e o comércio exerce todo seu poder de atração com promoções e novidades.

Mais do que comemorar, já que não há o que comemorar quando o Brasil está entre os 25 países no ranking do feminicídio e mais de 200 mil mulheres sofrem com o processo do aborto, é uma data de luta e enfrentamento contra a opressão física, psicológica e institucional que as mulheres sofrem ao longo de toda sua vida.


Se livrar de uma condição opressora deste nível, que está ao mesmo tempo explícita e nas entrelinhas não é um plano de curto prazo para esta geração, mas são resultados a longo prazo, assim como a luta contra a homofobia, que apesar de ser crime, ainda não é passível de punição na prática e ainda é tratada como doença pela bancada cristã no congresso.

Não podemos  comemorar o advento das mulheres no mercado de trabalho, posto que foi uma ascensão desigual onde mulheres recebem valores salariais menores que homens com o mesmo cargo e mulheres negrar ganham menos que mulheres brancas.

Não podemos comemorar a presença de uma mulher como presidente, esta  não representa politicamente o gênero, não discute as milhares de mulheres mortas por abortos criminalizados por não ser de sua “alçada” ou por ser demais polêmico para enfrentar em um congresso de carolas. E o pior, em um Estado “laico”.
Nas palavras da presidente:

“- Eu tenho convicção de que o século 21 é o século das mulheres. Não para as mulheres serem, de certa forma, contra os homens, mas para as mulheres terem uma participação na vida social, política, econômica e cultural do país ao lado dos homens, tendo o respeito dos homens. Um país que respeita suas mulheres constrói uma nação desenvolvida. Por isso, é muito importante, é uma tarefa de homens e mulheres a luta contra a discriminação da mulher.

Agora, me diz queria presidente, como você vai fazer isso acontecer?!

Este mesmo Estado que não promove abertura para participação da mulher na política quando cria leis para inclusão, mas não exige nem fiscaliza os partidos. É a lei que existe, mas não “pega”. O voto da mulher foi uma vitória, mas em que medida se não temos como votar em representantes de gênero? Não em sua totalidade, certamente.

Na condição física, quando o corpo da mulher ainda é um objeto de poder para os homens e opressão para as mulheres, não há o que ser comemorado. O filme: Il Corpo delle Donne (O Corpo das mulheres) retrata esta condição, vale a pena.

Neste dia então, não dê flores, doces ou presentes. Lembre que a data é uma referência as manifestações de mulheres russas em 1917, por melhores condições de vida e trabalho.

Repense, ao menos, qual seu papel neste discurso que com uma mão afaga e com a outra bate. Este é um dia de luta e reflexão e não de comemoração.

Não me venha com "florzinha" que isso é um desrespeito a minha inteligência e às conquistas feministas.

Nenhum comentário: