1 de set de 2011

Agroecologia e segurança alimentar

Muito se diz da necessidade do aumento da área agrícola e do incremento de produtos químicos e tecnologias no campo para suprir a demanda por alimento dentro das taxas de crescimento populacional do mundo.
Muito se pesquisa e é divulgado sobre estes novos produtos químicos e tecnologias, que prometem aumentos incríveis na produção comercial e nos lucros obtidos, já que, além de garantir retorno com a produção agrícola, também é possível diminuir os custos com mão-de-obra e com as perdas naturais ocasionadas por fenômenos climáticos, principalmente.
E muito pouco é pesquisado, divulgado e compartilhado sobre a produção agroecológica, inclusive sobre os apoios internacionais que a agroecologia tem alcançado, como a aprovação deste sistema produtivo pela FAO – Organização para Alimentação e Agricultura, organizada pelas Nações Unidas como um mecanismo de garantia de seguridade alimentar.
Ao contrário do que é disseminado pela mídia, pela indústria de insumos químicos e pelos latinfundiários, pesquisas tem demonstrado a viabilidade de sistemas agroecológicos garantirem a produção de alimentos para suprir as necessidades da população atual e crescente com a mesma área produtiva atualmente. A pesquisa foi realizada pela Universidade de Michigan.
Contrariando também os pressupostos da agricultura moderna, firmada durante o desenvolvimento da Revolução Verde, outra pesquisa demonstrou que o sistema produtivo baseado no uso de insumos químicos se mostrou menos produtivo do que o tradicional, reduzindo em 1/3, devido a diminuição de fixação de nitrogênio do solo, imprescindível para o desenvolvimento da planta. No mais, o uso de insumos externos aquele ecossistema reduz a eficiência energética e aumenta os custos de produção, neste sentido Gliessman (2011; apud Mangabeira) conclui que:
“A agricultura moderna é insustentável – ela não pode continuar a produzir comida suficiente para a população global, em longo prazo, porque ela deteriora as condições que a tornam possível.”
Também podemos repensar em que termos a agricultura moderna mantém sua produtividade. Esta baseada principalmente na quantidade de alimentos produzidos, regulada entre os custos de produção e o valor de venda, principalmente o mercado internacional com commoditie, sem atentar para os custos ambientais e sociais que causa, desde a desapropriação de comunidade rurais inteiras para a produção em larga escala até os impactos físicos, como erosão e perda da biodiversidade.
Para subverter o que tem sido demonstrado pela academia, com os mesmos recursos de que se utilizaram durante anos para justificar a Revolução Verde, empresas e entidades vinculadas ao agronegócio agora tem investido no Movimento de Valorização do Agronegócio Brasileiro, principalmente em face dos últimos acontecimentos como os assassinatos no campo, a repercurssão negativa do Novo Código Florestal e as denúncias de trabalho escravo.


Mesmo com a sabotagem que o próprio sistema da agricultura moderna provoca a si mesma, a promoção do sistema agroecológico depende ainda do apoio governamental, da sociedade civil e a divulgação das vantagens produtivas, bem como incentivo fiscal e creditício e apoio técnico àqueles que desenvolvem a agricultura agroecológica e investimentos financeiros na pesquisa científica. Além disso, é fundamental a mudança nos modelos econômicos vigentes, baseados em padrões matemáticos, para a Economia Ecológica.
Fonte:
MANGABEIRA, João. Agroecologia: contribuições para a promoção do desenvolvimento rural sustentável.
Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos

Fonte da imagem:
Blog do Gilnei

Um comentário:

Gilnei J. O. da Silva disse...

Juliana
Pela visita e comentários no meu singelo blog, agradeço! E que bom que gostou e lhe pode ser proveitoso.
Bueno, então, sempre que rolar vontade, tempo..., fique à vontade para visitar os posts que replico-e-partilhando. Ah, claro um dos meios pra acompanhar é via “seguidores”, que chamo visitantes-apreciadores, do blog. Quanto ao rss, não me “achei” ainda para disponibilizar. No mais, algumas postagens faço referencia no meu twitter » http://twitter.com/gilneios
Hein, também, gostei muito do blog de vocês – do conteúdo de viés ambiental – estarei igualmente acompanhando.
É isso, valeu! Abraços!
Gilnei J. O. da Silva